Um pouco da história, que aconteceu ontem e está acontecendo hoje!

domingo, 25 de março de 2012

Relação de Suserania e Vassalagem/ Vida de Camponês


 Relação de Suserania e Vassalagem

Começamos a aula hoje, revisando o que foi passado na aula do dia 19/03, onde estudamos sobre o Império Carolíngio.

Logo depois continuamos a matéria, falando sobre a relação de suserania e vassalagem. A relação de suserania e vassalagem era um compromisso de fidelidade, entre o senhor feudal e o rei, ou entre um senhor feudal com outro.

A obrigação do vassalo era prestar serviços militares ao seu suserano, disponibilizando suas tropas. Já o suserano deveria garantir a proteção de seus vassalos e ceder-lhes um feudo. Um vassalo poderia se tornar suserano de outro nobre, fazendo com que forme uma rede complexa. 
(Pág. 22- livro história 8º RSE)
                          http://www.infoescola.com/idade-media/vassalagem/


                           http://www.ricardocosta.com/pub/brevehist.htm

Os homens largavam as espadas, descobriam a cabeça e ajoelhavam-se diante de seu futuro suserano, indicando o desejo de servi-lhe; após receber do conde um beijo nos lábios, jurava sobre relíquias de santos ser fiel ao conde e manter sempre o contrato selado. Em seguida, era tocado pelo conde com um bastão, tornando-se seu vassalo, colocando-se à disposição do suserano, em troca de proteção; depois o suserano dava um tapa no rosto do vassalo, para que ouve-se a relação de submissão.
(Pág. 23- livro história 8º RSE)

Significados:
·         Beijo: Fidelidade
·         Armas: Proteção nas guerras
·         Tapa no rosto: selagem de submissão

Caso o vassalo traísse seu suserano, ele perdia tudo o que possuía posses e títulos. Os rituais de suserania e vassalagem, não eram os mesmos em todos os lugares, cada lugar, tinha seu jeito próprio e único de fazer o ritual.

Naquele tempo, o conde Guilherme de Flandres, era o maior suserano da região, e era uma honra ser seu vassalo.
 Saiba mais sobre Guilherme de Flandres: http://pt.wikipedia.org/wiki/Conde_da_Flandres

            Em seguida começamos a falar sobre o texto Vida de Camponês, pág. 21- livro história 8º RSE, que não era muito fácil, pois viviam em péssimas condições de saúde, de higiene e economia.
            O trabalho era feito do nascer ao pôr-do-sol, com ferramentas frágeis e inadequadas; o descanso acontecia em pequenas cabanas, geralmente compostas por um único aposento, onde dormiam todas as pessoas, com suas galinhas, porcos e, em dias muito frios, vacas ovelhas, caso a família fosse rica o suficiente para tê-las.


            Logo depois relembramos de que quando havia guerras, os homens se despediam de suas mulheres e partiam para guerra, mas para ter certeza de que sua mulher não iria traí-lo, eles as obrigavam a colocar um cinto de castidade, e levavam a chave com eles, ou deviam usar quando o senhor feudal decidisse que não era mais para a família ter filhos.


            Se quando o marido chegasse à mulher estivesse sem o cinto e estivesse grávida, ele poderia deixa-la, e ela ficava presa em uma masmorra pro resto de sua vida.


A expectativa de vida dos homens era de apenas 40 anos, por causa das guerras, ou das doenças, que nesse tempo eram causadas pela falta de higiene, e pelas doenças que aconteciam muitas vezes e levavam a morte. 


Já a expectativa das mulheres era menor ainda, pois assim que menstruavam, podiam ter filhos, e nesta idade o corpo ainda não está pronto, portanto muitas morriam muito novas.

Por fim achamos que esta aula foi muito proveitosa.
Esta aula aconteceu dia 20/03.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário